A história intrigante do homem encontrado mumificado em um barco naufragado

O corpo mumificado de um aventureiro alemão foi descoberto recentemente em seu iate, na costa das Filipinas, e as especulações a respeito de sua morte não param. A história de Manfred Fritz Bajorat, que foi encontrado por Christopher Rivas, um pescador que viu o iate afundado, agora parece ter novas informações importantes: um bilhete, escrito pelo próprio Bajorat, e destinado à sua esposa, Claudia, que morreu de câncer em maio de 2010.

“Por trinta anos estamos juntos no mesmo caminho. E então o poder dos demônios foi mais forte do que a vontade de viver. Que a sua alma encontre a paz. Seu Manfred”, dizia o bilhete, que foi divulgado em um fórum online para marinheiros.

Vida naufragada

O iate no qual Bajorat parece ter ficado naufragado por muito tempo e, ainda assim, seu corpo permaneceu aparentemente no mesmo lugar, sentado ao lado de um telefone. Dentro da cabine, foram encontradas fotos de pessoas que parecem ser sua esposa, familiares e amigos. Além disso, roupas e comida enlatada estavam espalhadas pelo iate.

Ainda não se sabe o que exatamente provocou a morte de Bajorat, assim como também não há como dizer quando a morte aconteceu. No momento, policiais envolvidos com a investigação estão tentando rastrear os últimos movimentos do iate de Bajorat e encontrar pessoas que tiveram algum tipo de contato com ele.

Mistério

O que se sabe por enquanto é que o iate foi comprado há 20 anos e que Bajorat se separou da esposa em 2008 – até então, ela tinha o acompanhado por diversas viagens. O corpo do marinheiro foi encaminhado à autópsia e o barco está sendo investigado desde então. Ao que tudo indica, não há evidências de que Bajorat tenha sido vítima de algum tipo de crime – os médicos acreditam que o homem morreu de causas naturais, e que possivelmente o iate afundou quando ele já estava sem vida.

“A forma como ele estava sentado parece indicar que a morte foi inesperada, talvez por um ataque cardíaco”, disse o especialista forense Dr. Mark Benecke. Bajorat era um marinheiro experiente e viajava pelo mundo há 20 anos, tendo navegado pelo Atlântico, pelo Pacífico, nos arredores do Caribe, no Oceano Índico e no Mediterrâneo.

Com o iate atual, Bajorat estava desde 2008, apenas. Seus amigos conterrâneos dizem que acompanhavam a vida do marinheiro pelas publicações que ele fazia no Facebook, mas que não sabem o que pode ter acontecido com ele. A polícia acredita ter encontrado o paradeiro de uma filha do marinheiro, Nina, que trabalha com navegação também.

Fonte Megacurioso

Comments

Facebook Twitter Google+