Arqueólogos encontram vestígios da mais antiga cervejaria da China

Descoberto em um sítio arqueológico em Mijiaya, norte da China, os vasos de cerveja foram recuperados de fossas que datam entre 3400 e 2900 a.C.

Além disso, um resíduo químico foi encontrado dentro da cerâmica, o que deu aos arqueólogos uma ideia do propósito original dos vasos, que incluíam funis, potes e jarras. Logo, os vestígios encontrados eram de grãos antigos, utilizados como ingredientes para a fermentação da cerveja. As conclusões foram relatadas na Proceedings of the National Academy of Sciences.

Ao analisar o resíduo, a equipe, liderada por Jiajing Wang, da Universidade de Stanford, descobriu o que eles chamavam de uma “receita de cerveja surpreendente”, incluindo vestígios de milho sorgo (Panicum miliaceum), cevada (Hordeum vulgare), lágrimas de Jó – também chamada no Brasil de Lágrimas de Nossa Senhora (Coix lacryma-jobi) e tubérculos.

 

A evidência da cevada, em particular, é significativa. Isso porque, ela fornece a primeira prova da existência do grão em materiais arqueológicos na China. “A descoberta da cevada é uma surpresa“, disse Wang à AFP. “Esta receita de cerveja indica uma mistura de tradições chinesas e ocidentais – cevada do Ocidente, painço, lágrimas de Jó e tubérculos da China”.

Foto: Reprodução / Jiajing Wang / PNAS

Foto: Reprodução / Jiajing Wang / PNAS

Os pesquisadores acreditam que a presença da cevada sugere que o grão possa ter entrado na China principalmente por seu uso na fabricação de álcool e posteriormente para outras finalidades. “A cevada foi um dos principais ingredientes para a produção de cerveja em outras partes do mundo, como no antigo Egito”, disse Wang. “É possível que, quando ela foi introduzida a partir da Eurásia Ocidental para a planície central da China, veio com o conhecimento de que era um bom ingrediente para a produção de cerveja. Então, não foi só a introdução de uma nova cultura de grãos, mas também, a circulação do conhecimento associado a ela”.

Além de transportar informações sobre como usar o grão, a introdução de cevada também poderia ter tido profundas consequências culturais. O ingrediente poderia desempenhar um papel na definição de hierarquias sociais dentro da China.

A aparência física da cerâmica também revelou outras pistas. Ao que tudo indica, se tratava de uma antiga cervejaria e os vasos eram usados para filtração, armazenamento e inspeção. Além da cerâmica, foram encontrados também, um fogão, que os pesquisadores acreditam ter sido usado para quebrar os carboidratos em açúcar.

Contudo, não é possível saber com certeza qual o provável gosto da bebida. Embora a análise dos pesquisadores revele os ingredientes usados, elas não indicam a proporção de cada grão. Dito isso, a equipe pode apenas especular sobre o sabor da cerveja. “Meu palpite é que a cerveja poderia ter um sabor um pouco azedo e doce”, disse Wang. “Em razão da presença dos grãos de cereais fermentados e o doce dos tubérculos”, acrescentou.

Fonte Jornal Ciencia

Comments