Arqueologia: “Mapa do Inferno” encontrado no século 15 fez previsões terríveis para a humanidade

Um manuscrito chamado de “Mapa do Apocalipse” ou “Mapa do Inferno”, feito em Lübeck, na Alemanha entre 1486 e 1488, e há muito esquecido, fez previsões terríveis sobre Terra.

Primeiro, ele descreve o estado do mundo entre 639 e 1514, depois, fala sobre a ascensão do Islã, o aparecimento do Anticristo e o dia do Julgamento Final. Escrito em latim, o mapa conta sobre todos esses eventos apocalípticos, previstos para terem acontecido no ano de 1651. 

Mapa-do-Inferno_01

 

A ideia de Apocalipse, estava em evidência na mente das pessoas durante o século 15. Na época, vários textos descreviam como o fim do mundo aconteceria. No entanto, um manuscrito em particular, ilustrou como seria o fim dos dias de uma maneira diferente – através de mapas.

Mapa-do-Inferno_02

 

O autor, conforme relatado pelo Mail Online, permanece desconhecido. No entanto, algumas pessoas especulam que se tratava de um médico conhecido como Baptista. Isso porque, há uma seção sobre medicina astrológica no texto e que, estranhamente, estava bem à frente de seu tempo.

Mapa-do-Inferno_03

Atualmente, o manuscrito está localizado na Biblioteca Huntington, em San Marino, Califórnia, de acordo com relatos da National Geographic. As primeiras profecias são feitas para descrever o estado do mundo entre 639 e 1514. O desenho de um grande círculo foi feito para representar a Terra, dividida entre porções de terra que representam os continentes (asiático, africano e europeu) e água. Nele o autor ainda alerta para o surgimento do Islã, marcado no texto como a representação de uma ameaça crescente ao mundo cristão.

Mapa-do-Inferno_04

Segundo o autor de “Cartografia Apocalíptica”, Van Duzer, trata-se de uma obra extremamente anti-islâmica. “É lamentável, mas era um preconceito generalizado naquela época e lugar”, disse. Outro mapa mostrado no manuscrito simbolizava uma “Espada do Islã” conquistando primeiro a Europa e logo depois, o resto do mundo. 

Um outro mostrava cinco espadas colocadas na Terra e cada uma é rotulado como: “Corrige”, “Reforma”, “Esmaga” e “Em Roma”. Porém, a quinta é deixada em branco. O texto que cerca essa imagem afirma que isso aconteceria com o mundo entre 1517 e 1570.

Mapa-do-Inferno_05

Outro mapa, mostrava um anúncio falando que Anticristo reinaria entre 1600 e 1606. Nele as imagens o ilustravam com quatro enormes chifres que alcançavam os confins da Terra. O que, de acordo com Duzer, significariam as diferentes maneiras que ele usaria para tentar convencer as pessoas a segui-lo: engano, astúcia, crueldade e imitação da Divindade – fingir ser o Deus cristão. 

Em outra ilustração ele descreve o mundo em um cenário pós-apocalíptico, onde a bandeira e a lei de Cristo estariam no centro da Terra, entre os anos de 1606 e 1661. Segundo Van Duzer, significava que Cristo seria adorado em todo o mundo, além de apontar para uma unificação mundial que estaria sob Sua liderança.

O autor inclui informações ainda mais detalhadas na página dedicada ao Dia do Juízo Final, que mostra a abertura do Inferno e as entradas do céu. Curiosamente, ele também incluiu a distância e rota para o Paraíso: 777 milhas alemãs de Lübeck até Jerusalém, e depois, mais 1000 milhas para o extremo leste da Terra.

Mapa-do-Inferno_06

Contudo, o manuscrito não conta só as profecias do que poderia ter acontecido há séculos com a Terra, ele também fala sobre medicina astrológica e uma tese de geografia, que alguns dizem estar extraordinariamente à frente de seu tempo. Os manuscritos ainda precisam ser melhor estudados e compreendidos pelos especialistas em textos e símbolos da Antiguidade.

[ Daily Mail ] [ Foto: Reprodução / The Huntington Library via Daily Mail ]

Fonte Jornal Ciencia

Comments

Facebook Twitter Google+