Descubra quais são 7 das maiores crateras de impacto que existem na Terra

1 – Cratera de Morokweng

Localizada sob o deserto de Kalahari, na África Meridional, a cratera de Morokweng foi criada pela colisão de um asteroide com dimensões entre 5 e 10 quilômetros de diâmetro há 145 milhões de anos. A estrutura foi descoberta graças a levantamentos de sensoriamento remoto realizados na região que revelaram que a formação possui aproximadamente 70 quilômetros de diâmetro.

The Epoch Times

Aliás, em 2006, enquanto geólogos conduziam perfurações no local para confirmar que realmente se tratava de uma cratera de impacto, eles descobriram fragmentos do asteroide que produziu Morokweng “enterrados” a cerca de 770 metros da superfície.

2 – Cratera de Acraman

Estima-se que a cratera de Acraman, localizada no sul da Austrália, se formou há cerca de 590 milhões de anos após a colisão de um enorme asteroide e, originalmente, a estrutura media entre 85 e 90 quilômetros de diâmetro.

NASA

Fragmentos e fósseis resultantes do impacto foram descobertos a cerca de 300 quilômetros da cratera, e os cientistas acreditam que, quando ela foi produzida, a colisão liberou uma quantidade de energia equivalente à detonação de 106 Mt.

3 – Cratera de Manicouagan

A cratera de Manicouagan, localizada em Québec, no Canadá, foi produzida por um meteorito com cerca de 5 quilômetros de diâmetro que atingiu o nosso planeta há mais ou menos 215 milhões de anos e é a maior cratera de impacto “visível” da Terra.

Beautiful Now

Atualmente, essa estrutura é formada por dois anéis, um externo, com 100 quilômetros de diâmetro e o outro, interno, com 70 km — e a cratera abriga o Lago Manicouagan e uma ilha circular conhecida como René-Levasseur.

4 – Cratera de Popigai

Situada na Rússia, a cratera de Popigai se formou há cerca de 35 milhões de anos depois que uma rocha espacial com diâmetro estimado entre 5 e 8 quilômetros de diâmetro colidiu contra a superfície do planeta.

Wikimedia Commons

Curiosamente, a rocha espacial caiu sobre uma região rica em carbono, e o incrível calor e a pressão provocados pelo impacto resultou na formação de enormes reservas de diamantes — segundo o governo russo. Atualmente, a cratera mede aproximadamente 100 quilômetros de diâmetro – então, se isso for certo, imagine o que não tiraríamos de lá se pudéssemos cavoucar aquelas paragens…

5 – Cratera de Chicxulub

Apesar de ser uma das crateras mais conhecidas do mundo, Chicxulub — cuja pronúncia é (mais ou menos) tchicussulub — não é a mais antiga ou a maior da Terra. A formação fica na Península do Yucatán, no México, e acredita-se que ela foi criada pela colisão de um asteroide com cerca de 10 quilômetros de diâmetro.

Science Mag

Originalmente, Chicxulub contava com 240 quilômetros de diâmetro, e o evento que causou sua formação também está associado com a extinção em massa do Cretáceo há 65 milhões de anos, durante a qual os dinossauros também teriam desaparecido. Hoje, a cratera de Chicxulub mede aproximadamente 150 km de diâmetro.

6 – Cratera de Sudbury

A cratera de Sudbury, situada em Ontário, no Canadá, se formou há pouco menos de 2 bilhões de anos e, originalmente, contava com aproximadamente 260 quilômetros de diâmetro — o que significa que é apenas um pouco menor e mais jovem do que a cratera de Vredefort, que vamos descrever para você no próximo item.

Paleopédia

Os geólogos estimam que a cratera se formou devido ao impacto de um asteroide com dimensões entre 10 e 15 quilômetros de diâmetro, e a trombada chegou a lançar fragmentos de rocha até Minnesota, que fica a 800 km de distância! Atualmente, a cratera mede 130 quilômetros.

7 – Cratera de Vredefort

Localizada na África do Sul, a cratera de Vredefort originalmente contava com 300 quilômetros de diâmetro e se formou há 2 bilhões de anos — o que faz dela a mais antiga e maior cratera de impacto do planeta.

Geoledgers

Acredita-se que essa enorme “cicatriz” seja o resultado da colisão de um asteroide com 10 quilômetros de diâmetro, ou seja, uma rocha espacial com o tamanho equivalente ao da Montanha da Mesa, uma das formações geológicas mais emblemáticas da África do Sul. Hoje a cratera abriga a localidade agrícola de Vredefort, que possui pouco menos de 12 mil habitantes e foi fundada no final do século 19.

 

Fonte Megacurioso

Comments

Facebook Twitter Google+