Ayahuasca: alucinógeno da Amazônia estimula o crescimento de células cerebrais, diz estudo

Por centenas de anos, xamãs da região amazônica têm protegido a saúde de suas comunidades indígenas utilizando uma bebida alucinógena considerada sagrada. Conhecida como ayahuasca, ela é dita ser capaz de curar todos os tipos de doenças físicas e psicológicas, conforme reportado pela IFLScience.

Trata-se de uma medicina tradicional composta por um potente psicoativo chamado DMT, que, de acordo com vários estudos, é capaz de aliviar os sintomas da depressão e outros transtornos mentais. Embora os cientistas ainda estejam tentando descobrir a maior parte dos segredos por trás do poder de cura da bebida, um grupo de pesquisadores do Programa de Pesquisa Beckley/Sant Pau em colaboração com o Conselho de Pesquisa Médica Espanhol, revelou que certos compostos presentes na Ayahuasca podem estimular o nascimento de novos neurônios.

Ayahuasca-da-Amazonia_01

Para as pessoas que sofrem de Alzheimer, e que experimentam uma redução significativa no hipocampo – região responsável pela aprendizagem e memória – por exemplo, os pesquisadores foram capazes de estimular o desenvolvimento de células-tronco, em placas de Petri, quando misturados com dois compostos encontrados na bebida, chamados de harmina e tetrahidroharmina.

Embora o estudo completo ainda esteja próximo de ser publicado em revistas científicas, a equipe lançou uma série de imagens para ilustrar o quão bem-sucedido seus experimentos se mostraram. Os resultados, apesar de serem emocionantes, ainda são prévios. “Nós só fizemos isso em laboratório, ainda não em seres vivos, mas é tão bom quanto parece e poderia ser uma indicação de um novo tratamento [para transtornos cognitivos]”, disse a pesquisadora Amanda Feilding, da Fundação Beckley, em entrevista à IFLScience.

Ayahuasca-da-Amazonia

O fato de que criamos novas células do hipocampo é algo que poderia ser bom, no sentido de que elas poderão ajudar com a doença de Alzheimer e, possivelmente, até mesmo acidentes vasculares cerebrais”. O próximo passo agora, segundo ela, é tentar replicar esses resultados usando outros componentes da ayahuasca, bem como a DMT, antes de realizar experimentos em voluntários.

[ IFLS ] [ Foto: Reprodução / IFLS / Ayahuascacostaricaretreat ]

Fonte Jornal Ciencia

Comments